Os Leigos Boa Nova são jovens em Missão: anunciar Jesus Cristo, servir os mais pobres do mundo e promover a solidariedade, o desenvolvimento, a justiça e a paz.

.posts recentes

. D. António Couto vai apre...

. Conferência sobre Volunta...

. Ceia de Natal Comunitária

. Concurso de Ideias para a...

. Jornadas Missionárias 201...

. Pontes de Comunhão em Moç...

. "SER CRISTÃO É SER MISSIO...

. Voluntários partem em Mis...

. Espectáculo de Solidaried...

. É urgente agir a partir d...

.arquivos

. Janeiro 2011

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

Quarta-feira, 24 de Maio de 2006

Audiência do Papa Bento XVI aos Superiores Gerais

O Superior Geral da SMBN, P. António Couto, e o Vigário Geral da SMBN, P. Jerónimo Nunes, estão em Roma a participar na Assembleia dos Superiores Gerais que inicia hoje e se estende até ao dia 27 deste mês. No passado dia 22 de Maio participaram na Audiência do Santo Padre aos Superiores e às Superioras Gerais dos Institutos de Vida Consagrada, no Vaticano. Cito, de seguida, o artigo da Agência Fides, relativamente a essa Audiência.

 

 “Os consagrados e as consagradas têm hoje o dever de serem testemunhas da transfiguradora presença de Deus em um mundo cada vez mais desorientado e confuso”

 

Cidade do Vaticano (Agência Fides)

“Espero que este momento de encontro e de comunhão profunda com o Papa seja, para cada um de vocês, de encorajamento e de apoio na execução de um dever que exige muito e, às vezes, é fatigante. O serviço da autoridade requer uma presença constante, capaz de animar, de propor, de lembrar a razão de ser da vida consagrada, de ajudar as pessoas sob sua confiança a responderem com uma sempre renovada fidelidade ao chamado do Espírito”. Com estas palavras, o Santo Padre Bento XVI dirigiu-se aos Superiores e às Superioras Gerais dos Institutos de Vida Consagrada e das Sociedades de Vida Apostólica, recebidos em audiência nesta manhã de 22 de Maio.
O Santo Padre ressaltou a grande responsabilidade que têm os Superiores e as Superioras gerais, em apoiar e guiar seus irmãos e irmãs “numa época que não é nada fácil, marcada por múltiplas insídias. Os consagrados e as consagradas têm, actualmente, o dever de serem testemunhas da transfiguradora presença de Deus em um mundo cada vez mais desorientado e confuso, um mundo em que os tons sombreados substituíram as cores nítidas e bem definidas. Sermos capazes de olhar para o nosso tempo com o olhar da fé significa estarmos aptos a olhar para o homem, o mundo e a história à luz de Cristo crucificado e ressuscitado”.
Dando seguimento ao seu discurso, o Papa evidenciou que “a cultura secularizada penetrou na mente e no coração de muitos consagrados” e, deste modo, “a vida consagrada conhece hoje a insídia da mediocridade, do aburguesamento e da mentalidade consumista… Uma condição prévia para seguir Cristo é a renúncia, o desligamento de tudo o que não é Ele. O Senhor quer homens e mulheres livres, não vinculados, capazes de abandonar tudo para segui-Lo e encontrar somente n’Ele o próprio tudo”. Em seguida, Bento XVI referiu-se à necessidade de “escolhas corajosas, de nível pessoal e comunitário, que imprimam uma nova disciplina à vida das pessoas consagradas e as leve a redescobrir a dimensão totalizadora da sequela Christi”.
O Papa deteve-se depois no tema relativo à pertença ao Senhor: “eis a missão dos homens e das mulheres que escolheram seguir Cristo casto, pobre e obediente, para que o mundo creia e seja salvo. Ser totalmente de Cristo, de modo a tornar-se uma permanente confissão de fé, uma proclamação inequívoca da verdade que os torna livres diante da sedução dos falsos ídolos que iludem o mundo”. Para assegurar um alimento para a vida interior que mantenha sempre viva a chama interior do amor, são necessárias a oração e a participação diária na Eucaristia. O Papa Bento XVI destacou a necessidade das pessoas consagradas viverem uma vida casta, o que “significa renunciar também à necessidade de aparecer e então assumir um estilo de vida sóbrio e modesto. Os religiosos e as religiosas também devem demonstrá-lo na escolha das roupas, uma roupa simples que seja símbolo da pobreza vivida em união com Ele que, de rico, se fez pobre para nos fazer ricos com a sua pobreza”.
Concluindo o seu discurso, o Santo Padre exortou os consagrados e as consagradas “a serem no mundo um símbolo confiável e luminoso do Evangelho e de seus paradoxos, sem se conformarem com a mentalidade deste século, mas transformando-se e renovando continuamente o próprio empenho, para poder discernir a vontade de Deus, o que é bom, que é do seu agrado e perfeito”. (S.L.)

 

(Agência Fides 22/5/2006)

publicado por Sérgio Cabral às 18:59
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.links

.Webstats4U

blogs SAPO

.subscrever feeds